Nadaf quer estreitar laços entre prefeitura, secretarias e vereadores

Nadaf quer estreitar laços entre prefeitura, secretarias e vereadores

AndreaHaddad | Cidades

Anuncio

O líder do prefeito Emanuel Pinheiro na Câmara Municipal de Cuiabá, vereador e professor Mário Antônio Moyses Nadaf (PV), ocupa o cargo pela quinta vez na sua trajetória política. Ao longo desses cinco anos, Nadaf falou sobre seus principais projetos de lei, vacinação em Cuiabá, e também qual modal defende para os cuiabanos, VLT ou BRT.

“Sinto orgulho do que faço em prol da população cuiabana. A última campanha foi muito difícil em 2020, mas continuo representando o povo cuiabano, e agora como liderança do governo, desempenho uma função estreitando o relacionamento entre prefeito, secretariado e os vereadores”, destacou Mário Nadaf.

Na Câmara Municipal, o professor está como presidente da comissão de educação e tem um projeto de autoria dele em conjunto com o vereador Coronel Paccola (Cidadania), em tramitação na Câmara que reconhece os serviços educacionais públicos e privados como atividades essenciais para a população no âmbito do município

Natural de Cuiabá, Nadaf foi professor por muito tempo no Ensino Médio na capital mato-grossense. Recentemente, vem acompanhando com sua equipe técnica os trabalhos de vacinação nos cinco polos em Cuiabá.

“Quanto ao número de vacinas, eu não tenho do que reclamar. No exato momento com os dados atualizados até o dia 24 deste mês, do montante de 140 mil doses recebidas, a Secretaria Municipal de Saúde está trabalhando com a segunda dose. Isso é muito importante. Até pela logística, isso é extraordinário, porque não temos um fluxo de chegada constante”, apontou o vereador.

Vale lembrar que, atualmente, Cuiabá conta com cinco pontos de vacinação, sendo instalado o primeiro deles no Centro de Eventos do Pantanal, depois vieram na sequência, Sesi Papa, UFMT, Coronel Meirelles e por último na Assembleia Legislativa. “É claro que precisamos melhorar muito, más no geral, vi muita gente elogiando os postos de vacinação em Cuiabá”, revelou ele.

Outro ponto destacado pelo vereador e quanto a vacina solidária, onde segundo Nadaf, possui duas frentes de trabalho. “O primeiro deles é o próprio enfrentamento da Covid, e o outro, é a falta de emprego. Então, a primeira dama de Cuiabá (Márcia Pinheiro) resolveu enfrentar a fome, pedindo um quilo ou mais de alimentos não perecíveis para ser doado posteriormente. Uma iniciativa louvável”, garantiu Nadaf.

Prefeito x governador – Para Mário Nadaf, o imbrólio político entre o prefeito Emanuel Pinheiro e o governador Mauro Mendes tem prejudicado a população no momento de pandemia.

“Primeiramente temos que pensar na população e depois discutir as questões políticas. Temos que intervir neste momento de pandemia e unir as forças para enfrentar a doença. Precisamos colocar os dois secretários de saúde, tanto Estadual quanto Municipal, para resolver os problemas. Entendo que não pode, de maneira nenhuma a população sair perdendo com essa divergencia entre eles” afirmou ele.

Revitalização – Com o objetivo de arborizar e investir no paisagismo de Cuiabá, Nadaf disse que o Projeto Plantar entra na sua 26ª edição, nas avenidas, praças públicas e próximos de escolas públicas.

“A ideia é levar para as comunidades e praças o propósito de conscientizar as pessoas plantarem mudas de flores ornamentais e árvores nativas. Tem proporcionado bons resultados junto a população, e há locais, que essas plantas e árvores já cresceram e produzem flores”, opinou o vereador.

VLT ou BRT – Essa briga entre políticos e empresários vem atormentando os mato-grossenses. Na visão do líder do prefeito, sua preferência é pelo modal VLT.

“Não quero me convencer, mas tudo que foi investido, adquirido e pela corrupção envolvendo o modal VLT, entendo ser um transporte moderno e que pode ser bastante útil para a população”, dispara ele.

“Foi feito todo um investimento com a compra dos vagões, aquisição dos trilhos e construção de viadutos. Precisamos tomar uma posição rápida porque todo investimento está ficando defasado com os materiais que foram adquiridos”, complementou ele.