Mais de 2 mil pessoas do interior podem entrar na mira do MP por ‘burlar’ fila de vacinação

Mais de 2 mil pessoas do interior podem entrar na mira do MP por ‘burlar’ fila de vacinação

Ruan Cunha | Cotidiano

Anuncio

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), disse na manhã desta segunda-feira (17) que as 2,5 mil pessoas do interior que conseguiram furar a fila e se vacinar na Capital, após uma falha no sistema, deverão entrar na mira do Ministério Público Estadual (MPE) e Tribunal de Contas do Estado (TCE). Um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) também foi aberto para apurar o problema.

“Assim que tomamos conhecimento dessa falha no sistema que possibilitou isso, já determinei que fosse encaminhado ao Ministério Público, Tribunal de Contas e foi aberto um PAD interno em parceria com a Controladoria do Município. A secretária Ozenira [Felix] já tomou as providências necessárias”, explica Emanuel.

O prefeito fez questão de garantir que a segunda dose da Pfizer e Astrazeneca estão guardadas. “Assim como as da CoronaVac. As que não puderam ser utilizadas, uma foi fruto dessa falha no sistema que 2.500 pessoas do interior acabaram conseguindo furar fila e sere vacinadas e outra questão técnica que foge até ao meu conhecimento, que cada frasco deveria dar para dez vacinas e estava dando nove. Tudo isso está sendo visto, conversado junto ao Ministério da Saúde e Secretaria de Saúde do Estado para que Cuiabá seja reparada”.

Porém, Emanuel fez questão de ressaltar que a sequência da imunizaçaõ depende do envio constante de doses por parte do Ministério da Saúde. “A última remessa de envio D1 (dose 1) e D2 (dose 2), só veio a D1, não veio a D2, então amanha chega a D2. A segunda dose dos cuiabanos está rigorosamente reservada”.

A Prefeitura de Cuiabá detectou que mais de 2,5 mil pessoas de outras cidades conseguiram tomar a segunda dose da Coronavac em Cuiabá, devido a uma falha no sistema que permitiu o agendamento para capital. Como consequência, foi necessário reagendar as datas de alguns cuiabanos.

No entanto, ainda de acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, muitas pessoas não se atentaram a esta mudança, o que acabou causando uma confusão nos pólos de vacinação. Alguns que foram à UFMT e ao Sesi Papa mas não estavam agendados para esta sexta-feira (14) foram impedidos de tomar a vacina e se dirigiram ao Centro de Eventos do Pantanal, onde apenas a Pfizer está sendo aplicada, causando aglomeração e filas.

A Prefeitura de Cuiabá informou, no último domingo (16), a suspensão temporária da aplicação da segunda dose da Coronavac, a partir desta segunda-feira (17), por conta da falta do imunizante. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) identificou que frascos da vacina estão chegando com menos doses do que deveriam. Novo lote deve ser enviado pela União na próxima terça-feira (18).

A Secretaria de Saúde destacou que vinha reservando a segunda dose dos munícipes, no entanto, detectou perda técnica, uma vez que os frascos que deveriam conter 10 doses estão contando, na verdade, com 9 doses.  Tal fato também estarai acontecendo em todas as regiões do Brasil.

A previsão é de que novo lote da CoronaVac chegue na terça-feira. Até lá, ficará suspensa  a aplicação de segunda dose de Coronavac em outros públicos, bem como o funcionamento do polo de vacinação no campus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

(Com informações do Olhar Direto)