Estudantes da rede pública municipal de ensino participam de avaliação diagnóstica

Estudantes da rede pública municipal de ensino participam de avaliação diagnóstica

AdrianeMartins | Destaque

Anuncio

Uma das unidades que estão fazendo a avaliação é a EMEB Ana Tereza Arcos Krause com 810 estudantes da Educação Infantil e Ensino Fundamental

Cerca de 60 unidades da rede pública municipal de Educação estão realizando avaliação pedagógica presencial com autorização dos pais ou responsáveis. Todas seguem as recomendações de biossegurança, distanciamento físico e número reduzido de estudantes nas salas de aulas. As atividades estão acontecendo de forma escalonada, tanto para os estudantes como para os profissionais e, dentro das orientações recomendados pelas autoridades de Saúde e Sanitárias.

A secretária Municipal de Educação, Edilene de Souza Machado disse que a avaliação esta prevista no planejamento pedagógico da rede pública municipal de ensino e enfatizou os cuidados que estão sendo tomados nas unidades educacionais. “A avaliação diagnóstica está prevista no planejamento e irá orientar o plano de intervenções pedagógicas no retorno híbrido previsto para o dia 4 de outubro. É importante frisar que os pais ou responsáveis foram consultados para autorizar a participação de seus filhos e que todas as medidas de biossegurança estão sendo adotadas”, destacou Edilene Machado.

A Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Ana Tereza Arcos Krause, localizada no bairro Jardim Industriário, é uma dessas unidades. A avaliação diagnóstica está sendo realizada com os estudantes do Ensino Fundamental (1º ao 6º Ano). Em julho, essa avaliação já havia sido feita com os 100 alunos do 5º Ano.   Os 46 professores, além de outros profissionais, cumprem um cronograma de revezamento.

Também neste segundo semestre, após a vacinação da primeira dose dos profissionais, a unidade iniciou algumas atividades pedagógicas presenciais, de forma escalonada, para os estudantes. A diretora Olinda Gonçalves de Almeida Dias disse que no início, houve um certo receio por parte dos pais ou responsáveis, superado após conhecerem como essas atividades iriam acontecer.

As salas de aulas da Educação Infantil foram preparadas para receber os estudantes e professores.  Além do distanciamento físico e limite de alunos por sala, todos usam máscaras. A unidade disponibiliza álcool em gel e os estudantes são acompanhados durante o tempo que permanecem na escola. Ninguém além dos profissionais entra na unidade. “Os alunos chegam às 7 horas e saem às 11h e no período da tarde, às 13h e saem às 17h, após receberem a alimentação escolar. Os pais deixam as crianças no portão, onde é aferida a temperatura antes que entrem na unidade. Na saída os pais recebem as crianças no portão”, explicou Olinda.

Revezamento

De acordo com o plano de revezamento, os estudantes dos 1º, 2º, 3º, 4ª e 6º Anos vão à escola 2 vezes por semana enquanto os estudantes do 5º Ano, 3 vezes por semana. “Por semana estamos atendendo de forma presencial 275 estudantes do 1º ao 6º ano. Cada sala do 1º ao 3º Ano recebe no máximo cinco estudantes. Nas salas dos 4º e 6º Anos, de sete a dez estudantes, enquanto nas do 5º Ano, dez estudantes”, explicou a gestora.

Olinda contou que em 2020, o monitoramento da participação remota indicou que 99% dos estudantes estavam fazendo a devolutiva das atividades pedagógicas. “Este ano encontramos algumas dificuldades em especial com relação aos estudantes que não têm o acompanhamento de um adulto em casa, de forma mais constante”, disse ela.

Com esse planejamento os profissionais realizando além da avaliação diagnóstica, atendimento quase individualizado. “Com a perspectiva de retorno das atividades presenciais de forma híbrida, estamos trabalhando para que os estudantes estejam preparados para o retorno das aulas além disso, a avaliação permitirá um planejamento pedagógico de forma mais segura”, destacou Olinda.

Marilze Rodrigues Correa é mãe de um dos alunos da unidade. O filho dela, de 10 anos, está no 5º Ano. “Com tanto tempo longe da escola percebi uma queda no aprendizado do meu filho”, contou ela. Por trabalhar fora ela acredita na iniciativa, desde que todos os cuidados sejam tomados e os pais tenham responsabilidade e consciência em caso de diagnóstico positivo na família, cumprindo o período recomendado de isolamento e não enviando seus filhos para a unidade.

Lidiane Pereira Silva também aprovou a ideia. Com quatro filhos e uma gravidez de risco do quinto, ela disse que a rotina diária nem sempre permite o acompanhamento integral do seu caçula, de 6 anos. “Meu filho que estuda no 1º Ano foi para a escola. Eu preparei ele para ir. Ele levou álcool em gel, uma garrafinha de água. Me senti segura. A escola está preparada para receber os alunos de forma híbrida”, disse ela.

Obra

A EMEB Ana Tereza Arcos Krause está em reforma geral. A unidade atende estudantes da Educação Infantil (Pré I e II) e Ensino Fundamental.

Após as obras, terá três blocos (dois deles totalmente reformados e um novo). Toda a cozinha e refeitório estão sendo readequados, assim como os banheiros e a quadra poliesportiva. O sistema de abastecimento de água está sendo ampliado. A escola também terá novos espaços como laboratório de informática, sala de música, auditório e biblioteca e um novo sistema de esgoto com fossa, filtro anaeróbio, sumidouro e um tanque de cloração.

fonte: MARIA BARBANT